Nós nos formamos como mães e pais?


Eu olho para minha filha e acho que ela está em um dos momentos mais bonitos de sua vida. Infância.



As responsabilidades que ele tem hoje são de se encontrar na escola e descobrir o mundo. Todos os dias surgem novas informações e com sorte uma nova lição de vida.



Eu vejo isso e acho que minha responsabilidade é prolongar esse estágio o máximo possível. Na verdade, eu acho que é um estágio que de alguma forma nunca tem fim, e mostrar como crescer sem esquecer de se divertir, rir, sonhar, brincar e aprender, é realmente um desafio esmagador, porque se eu falhar, muita da sua vida pode ser para gastar trabalhando em um trabalho que ela detesta e em que ela é apenas para um salário e não porque ela realmente ama o que ela faz, ou com um parceiro em que ela coloca a responsabilidade de fazê-la feliz, quando ela realmente, e só ela, é devida Tome conta disso.



Nesta fase de sua vida, muito da segurança e auto-estima que ele demonstra pelo resto de sua vida depende de mim. Acredite em mim quando digo que a segurança é a base de todas as suas ações futuras. Se você não tem confiança em si mesmo, certamente encontrará uma pessoa que atropela o que é e representa; será um dos chefes que terá, talvez um casal, ou algo ainda maior e que tem sido há milênios com o homem, como o medo.



Jesus disse que o pior dos males do homem é o medo, e se pensarmos cuidadosamente, nós que somos adultos e já vivemos "de tudo", quantas coisas paramos de fazer por medo? Quantos empregos nós não aceitamos Quantas vezes nos calamos, eu te amo ou te amo, por medo de ser rejeitado? Quantos beijos não foram dados?



Eu tenho a responsabilidade de treinar uma pessoa para tornar este mundo um lugar melhor e não deixar o mundo torná-lo mais uma pessoa.



O dever de um pai ou mãe é que seus filhos um dia se tornarão independentes. Essa é a palavra chave: independência. Isso não depende de você ou de outras pessoas para fazer as coisas. Que eles são auto-suficientes em todos os sentidos. Eles não precisam de ninguém que lhes diga quando e como fazer as coisas, porque aprenderam a aprender e a não memorizar e repetir tudo o que aprenderam. Deixe-os questionar e experimentar para finalmente tomar sua própria decisão. Deixe-os jogar o tempo todo e divirta-se. Que, assim como agora que são crianças, estão erradas e não têm medo de falhar, porque, na realidade, quem faz algo certo desde a primeira tentativa? É uma questão de cometer erros e aprender com eles.



No dia em que conseguir isso, será minha formatura como pai e, embora eu sempre esteja presente para ela, o importante é que ela não precise mais de mim. Nem para mim nem para ninguém ser feliz.



A criança que não brinca não é uma criança, mas o homem que não joga perdeu para sempre a criança que nela viveu e quem vai precisar dela.



Pablo Neruda


Tecnologia do Blogger.